Rss Feed

Pensamentos inscientes

"Sei que te amo
Quando cá estou
Sentado olhando
Para a parede do meu quarto,
Com medo de assumir qualquer ação,
Imaginando o que você comentaria sobre."

"Estou bem amorzinho
Leve, Levíssima
Estou aqui contigo por amar
Tão melhor que isso poderia ser?"

"Venho aqui por sonhar
Digo por que sinto
Sofro por amar
Os sonhos impedindo-me
De ficar sentado
Por muito e muito tempo
Com minha dor
Toques me arrepiam
Palavras me fazem sorrir
Distância não me importa
Desde que esteja aqui
Aqui em meu peito"

"A frequência da vida
Se reflete em seu olhar
A alma em tuas mãos
Com medo de perdê-la
A lágrima em teus olhos
Faz você acreditar
Que em algum lugar
Há de encontrar..."

"Não há de me deixar
Para curtir a sua vida
Se é que não é engano chamar de vida
Uma vida sem um "nós" para preencher
Mas o que seria de mim sem você
Sem teu ímpeto ao falar comigo"

"Enquanto estávamos lá
Eu e você, a olhar
Enquanto tentávamos
Expor os sentimentos
Em melodias, música
Com algumas interjeições
Não, muitas interjeições"
De que valem todos meus esforços
Tais esforços perante meu próprio ser
A beira de minha alma em destroços
E tudo somente me forçando a lhe dizer

Sobre aquela minha lembrança do amor
Que ficou, junto com toda minha existência
Jogada a beira do abismo que sobrou
Em meu peito, sob a sua influência

O que ainda querer te dizer, se não me ouve
Não sente, não está, não é
Resta-me viver de sonhos

Enquanto há de querer me ter
Em meu mundo que eu penso
Existir para mim, em mim.
E a felicidade
está aqui pra mostrar
que mesmo que tarde
ela há de chegar
O caminho foi longo
e apesar das dores
quero que apareça logo
não me deixe esperando com as flores
Elas hão de murchar
Estou deitado
Angustiado
Tomo banho sozinho
Gelado
Sentimentos doem no peito
Querendo fugir
Sonhos que tenho contigo
Não me deixam mentir
Tenho medo de ti
Tenho medo de mim
Não sei bem o que dizer...
Sua mão na minha me faz querer
Continuar deitado
Aliviado
Tomar banho juntos
Quente
Mas...
Onde está sua mão agora?
Saudade, junção de todos os sentidos reunidos no lado esquerdo do peito e pesa no consciente.
Não importa a distância, sinto sua pele, seu cabelo entre meus dedos, sua face queimando.
O sabor de teus beijos simples, inseguros... E tão apaixonados.
Fecho os olhos e vejo teu sorriso, por poucos segundos, até que você afunda seu rosto em meu ombro, um abraço forte, como se não soubesse que eu nunca te abandonaria.
Não ligo para o tempo, nunca esquecerei teu perfume, doce... Mas simples. Como uma menina que tem medo de crescer e tem medo da vida.
De repente acordo de meus pensamentos ao ouvir tua voz, e abro os olhos, desesperado a sua procura e só encontro as folhas sendo levadas pelo vento para um nada.
Coloco minha mão em meu peito e sorrio sozinho.
Era só a saudade.